A empresa de segurança ESET anunciou nesta segunda-feira (28) a descoberta de uma campanha de adware na Google Play Store que afetou cerca de oito milhões de usuários Android de todo o mundo no ano passado.

Lukas Stefanko, pesquisador de segurança cibernética da ESET, conta que existiam 42 aplicativos fazendo parte desta campanha, com 21 deles ainda disponíveis no início da investigação. “A equipe de segurança do Google removeu todos esses aplicativos assim que reportamos, mas eles ainda estão disponíveis em lojas de terceiros”, explicou.

Os aplicativos faziam parte de categorias variadas, como jogos simples, estações de rádio e download de vídeos, mas todos com o objetivo de monetizar com a navegação do usuário, sem que ele saiba. Os adwares são capazes de não só exibir os anúncios, como também reproduzir e baixar no dispositivo.

Imagem: Reprodução/ESET

A vítima acaba nem percebendo da tática, que envolve a criação de atalhos ocultos de acesso, fingindo se tratar do Google ou do Facebook. “O adware substitui esses dois aplicativos, fingindo ser legítimo, para evitar suspeitas e permanecer no dispositivo por mais tempo possível”, revela o pesquisador.

Embora o adware não seja tão perigoso quanto malwares em geral, a sua manipulação pode trazer desconforto na experiência do usuário, por isso é recomendada a instalação de uma solução de segurança em cada dispositivo.